A DURAÇÃO RAZOÁVEL DO PROCESSO PENAL

Amanda dos Santos Jordão, Bento Barbosa Cintra Neto

Resumo


O presente estudo trata do princípio da duração razoável do processo que é um princípio constitucional e um direito fundamental, no entanto, a demora jurisdicional ainda é o grande problema da nossa justiça. Foi introduzido na legislação brasileira explicitamente através da Emenda Constitucional nº 45/2004, no art. 5º, LXXVIII da Constituição Federal. Desde então foi realizado um estudo sobre a doutrina do não-prazo, que é adotada no ordenamento jurídico brasileiro, e a necessidade da fixação de um prazo máximo para os processos. Também, foi debatido a fixação de um prazo máximo para as prisões cautelares, que as vezes perduram por anos, o que é inaceitável. Baseado em um estudo do Conselho Nacional de Justiça, foi apresentado a problemática atual do país, seus índices de congestionamento e o número excessivo de processos sem solução na justiça criminal.


Texto completo:

PDF

Referências


CHILE. Código de processo penal. Biblioteca del Congresso Nacional de Chile, Santiago, 12 oct. 2000. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2017.

EXCESSO de prazo no julgamento de ação penal. Informativo do STF, Brasília, DF, 2017. n. 878. Disponível em: . Acesso em: 04 out. 2017.

JUSTIÇA em número 2016: ano-base 2015. Conselho Nacional de Justiça, Departamento de Pesquisas Jurídicas, Brasília, 2016. 404 f. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2017.

LOPES JUNIOR, Aury. Direito à duração razoável do processo tem sido ignorado no país. Consultor Jurídico, São Paulo. 25 jul. 2014. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2017.

LOPES JUNIOR, Aury. Direito processual penal e sua conformidade constitucional. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2007.

LOPES JUNIOR, Aury; BADARÓ, Gustavo Henrique. Direito ao processo penal no prazo razoável. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2006.

NICOLITT, André. A duração razoável do processo. 2 ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de processo penal e execução penal. 11 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço: Avenida Prudente de Moraes, 815

Bairro: Zona Sete

CEP: 87020-010

Maringá - Paraná - Brasil