ANÁLISE DA APLICABILIDADE DA MEDIAÇÃO EXTRAJUDICIAL NOS CASOS DE DEFINIÇÃO DE GUARDA

Claudia Angelo da Silva, Diógenes André Tazawa Pepinelli, Estefany Occhi Rodrigues

Resumo


Pretende-se investigar na legislação brasileira a aplicação da mediação extrajudicial nos casos de definição de guarda, o que tais mudanças com o novo Código de Processo Civil e legislações correlatas representaram para o conjunto dos valores no patamar ético e em nível social, para o âmbito jurídico, com os reflexos das normas do direito em relação a construção e prática da cultura da paz e meios alternativos de solução de conflitos como a mediação proporciona como uma ferramenta. O eixo estruturante da pesquisa se dará com colaborações de grandes autores como as de Flávio Tartuce, Fredie Didier Jr., Fabiana Spengler, dentre outros que possam cooperar com a pesquisa que será realizada de modo essencialmente bibliográfica. Como expectativa de resultados, a investigação proporcionará a promoção do enfoque restaurativo e da cultura de paz, um viés de mobilização social e difusão cultural nos negócios jurídicos. Em muitos casos, tais iniciativas alcançam a pacificação das relações sociais de forma mais efetiva do que uma decisão judicial, uma consolidação da autocomposição através da mediação extrajudicial e judicial que se torna uma ferramenta para a proteção e efetividade de direitos.

 

Palavras-chave: Guarda; Mediação extrajudicial; Cultura de paz.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Congresso Nacional. Senado Federal. Comissão de Juristas Responsável pela Elaboração de Anteprojeto de Código de Processo Civil. Código de Processo Civil : anteprojeto. Brasília: Senado Federal, Presidência, 2010. Disponível em:< http://www.senado.gov.br/senado/novocpc/pdf/Anteprojeto.pdf> Acesso em: 24 maio 2016.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. (Org.) Azevedo, A. Manual de Mediação Judicial, 5. ed. (Brasília/DF:CNJ), 2015. Disponível em: Acesso em: 24 maio 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 05 de outubro de 1988. Brasília, DF. Disponível em: Acesso em: 24 maio 2016.

Brasil, Código de Processo Civil, 2015. Disponível em: Acesso em: 29 maio 2018.

BRASIL, LEI Nº 13.140/2015. Disponível em: . Acesso em: 29 maio. 2018.

BRASIL, LEI Nº 8.069/ 1990. Disponível em: Acesso em: 29 maio. 2018.

DIAS, Maria Berenice. Manual de direito de famílias. 6. ed. ver. atual. e ampl. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2010.

DIDIER JR., Fredie. Curso de Direito Processual Civil: teoria geral do processo e processo de conhecimento (vol. 1). 11ª ed. Salvador: Editora JusPodivm, 2009, p. 519.

Lei Nº 13.140, de 26 de junho de 2015

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. - 16. ed. - São Paulo: Saraiva, 2012.

FALECK, D. et al., Seção V - Dos Conciliadores e Mediadores Judiciais - Arts. 165 a 175 – p. 294-304. In: TUCCI, J e; FERREIRA FILHO, M.; APRIGLIANO,R.; DOTTI, R.; MARTINS, S. (Coord.) Código de Processo Civil Anotado, atualizado em 16/11/2015, Associação dos Advogados de São Paulo e Ordem dos Advogados do Paraná, 2015.

GUERRERO, L. et al., Capítulo III – Dos Auxiliares de Justiça - Arts. 149 a – p. 262-265. In TUCCI, J.; FERREIRA FILHO, M.; APRIGLIANO, R.; DOTTI, R.; MARTINS, S. (Coord.): Código de Processo Civil Anotado, atualizado em 16/11/2015, Associação dos Advogados de São Paulo e Ordem dos Advogados do Paraná, 2015.

ISOLDI, A., A Mediação Como Mecanismo De Pacificação Urbana, 2008, p.199, obtenção do grau de mestre em Direito Urbanístico, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2008. Disponível em: < http://dominiopublico.mec.gov.br/download/teste/arqs/cp059623.pdf> Acesso em: 28 jul. 2016.

LEONARDO, R. et al., Seção I - Disposições Gerais - Arts. 554 a 559 – p. 922-932. In TUCCI, J.; FERREIRA FILHO, M.; APRIGLIANO, R.; DOTTI, R.; MARTINS, S. (Coord.): Código de Processo Civil Anotado, atualizado em 16/11/2015, Associação dos Advogados de São Paulo e Ordem dos Advogados do Paraná, 2015.

MARTÍN, N., El acceso a la justicia como derecho fundamental: la mediación em la Unión Europea como instrumento de acceso a la justicia. p.167-202 In organização SPENGLER,Fabiana M. e BEDIN,Gilmar A.. Acesso à Justiça, direitos humanos e mediação [recurso eletrônico], Curitiba: Multideia, 2013. Disponível em: Acesso em 27 jul. 2016

MATTOS NETO, A. 5. Direitos patrimoniais disponíveis e indisponíveis à luz da lei da arbitragem p. 49-62, 2013. In FRANCO FILHO, G., (Coord.) autores: Rodrigues, A. et al. Temas Atuais de Direito – 1ª ed. – Rio de Janeiro: LMJ Mundo Jurídico, 2013, p.216.

MOORE, C. O processo de Mediação: estratégias práticas para a resolução de conflitos. Tradução Magda França Lopes. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 1998.

POZZATTI JUNIOR, A.; KENDRA, V. Acesso à justiça e mediação: por uma revolução democrática da prestação jurisdicional. In Revista Direitos Fundamentais & Democracia, v. 18, n.18, 2015 p. 14-35. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2016.

RESENDE, J. Da judicialização à psicologização de conflitos familiares. 2015, p. 125. Dissertação obtenção do grau de mestre em psicologia, no Instituto de Psicologia da Universidade Estadual de São Paulo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 28 Jul. 2016.

ROSSATO, Luciano Alves; LÉPORE. Paulo Eduardo; CUNHA. Rogério Sanches. Estatuto da criança e do adolescente comentado: Lei 8.069/1990: artigo por artigo. 4. ed. rev., atual. e ampl.- São Paulo: Editora Revista dos tribunais, 2012.

SAMPAIO, L.; BRAGA NETO, A. O que é mediação de conflitos, São Paulo: Brasiliense, 2007.

SALES, L. Mediação facilitativa e “mediação” avaliativa – estabelecendo diferença e discutindo riscos, p. 29, in Revista Alcance - Eletrônica, Vol. 16 - n. 1 - p. 20-32 / jan-abr 2011. Disponível em: . Acesso em 31 jul. 2016

SALES, L.; RABELO, C. Meios consensuais de solução de conflitos Instrumentos de democracia. in Revista de Informação Legislativa Brasília a. 46 n. 182 abr./jun. 2009, p.81.

SIVIERO, K. Aspectos polêmicos da mediação judicial brasileira: uma análise à luz do novo código de processo civil e da lei de mediação. Disponível em: Acesso em 30 jul. 2016.

SPENGLER, F. Mediação: um retrospecto histórico, conceitual e teórico, p.17-57. In (Org.) Spengler, Fabiana e Spengler Neto, Theobaldo, Mediação enquanto política pública [recurso eletrônico], a teoria, a prática e o projeto de lei, p. 262. 1. ed. Santa Cruz do Sul, Edunisc, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 jul. 2016

TARTUCE, Flávio. Manual de direito civil: volume único. 7. ed. rev., atual. e ampl. – Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: Método, 2017. p. 1374.

TARTUCE, Flávio. Mediação no Novo CPC: questionamentos reflexivos. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2016

TOLEDO, C.; GONZAGA, M. (Org.) Metodologia e Técnica de pesquisa: nas áreas de Ciências Humanas. Maringá: Eduem, 2011.

TUCCI, J. et al., Capítulo I – Das Normas Fundamentais do Processo Civil - Arts. 1º a 12, p.1-27. In: (Coord.) TUCCI, J.; FERREIRA FILHO, M.; APRIGLIANO, R.; DOTTI, R.; MARTINS, S. Código de Processo Civil Anotado, atualizado em 16/11/2015, Associação dos Advogados de São Paulo e Ordem dos Advogados do Paraná, 2015.

VASCONCELOS, R. et al., Capítulo X – Das Ações de Família - Arts. 693 a 699, p. 1092-1097. In: (Coord.) TUCCI, J.; FERREIRA FILHO, M.; APRIGLIANO, R.; DOTTI, R.; MARTINS, S. Código de Processo Civil Anotado, atualizado em 16/11/2015, Associação dos Advogados de São Paulo e Ordem dos Advogados do Paraná, 2015.

VEZZULLA, J. Teoria e prática de mediação. Curitiba: Instituto de Mediação, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Endereço: Avenida Prudente de Moraes, 815

Bairro: Zona Sete

CEP: 87020-010

Maringá - Paraná - Brasil